Leide Daiany José da Silva

11 set 2009
0

Leide Daiany José da Silva

Leide

“Viverei o presente, pois este é muito precioso, o passado me ensina, mas não posso viver nele. Quanto ao futuro, posso planejá-lo e me preparar para ele. O meu passado já foi meu presente e o meu futuro será meu presente, e o meu presente é assim, simplesmente como sou e o que sou, agora, ele é precioso. (Autor desconhecido)”

     São com essas sábias palavras, de um autor desconhecido, que a Assistente Administrativo da Moradia e Cidadania/GO, Leide Daiany José da Silva, 27 anos, se despede e agradece à ONG Moradia e Cidadania todo aprendizado e crescimento pessoal e profissional durante os sete anos que colaborou com os projetos e ações realizadas em âmbito estadual e nacional da instituição.

     E se preparando para uma nova etapa profissional de sua vida, Leide agradece a todos da ONG Moradia e Cidadania por esses anos trabalhando em prol da inclusão social e buscando atender aqueles que mais necessitavam de apoio.

     Segundo ela, foi um período de muito crescimento pessoal e também profissional, “Novas oportunidades surgem na vida de todos nós e devemos aproveitá-las, mesmo que para isso tenhamos que fazer algumas renúncias, pois a vida é assim mesmo, cheia de situações em que devemos escolher este ou aquele caminho, na incerteza do que é melhor, precisamos arriscar cheios de confiança e fé, com a certeza de que Deus está guiando os nossos passos, pois ele sabe a hora para tudo acontecer em nossas vidas”.

     E nesse clima de despedida, agradecimento e de reconhecimento pelos trabalhos prestados à instituição, a Moradia e Cidadania não poderia deixar de homenageá-la, pela sua competência, responsabilidade e comprometimento nas atividades realizadas, a fim de contribuir para a construção de um mundo melhor.

     Veja a entrevista que Leide Daiany concedeu ao Portal da Moradia e Cidadania, em seu último dia de trabalho na ONG.

Portal da Moradia e Cidadania: Como foi trabalhar na Moradia e Cidadania?

Leide: Escrevi uma carta para a Agência Anhanguera da CAIXA, solicitando ajuda para conseguir um emprego, então o empregado Edson Dornelas e Sandra Alvarenga encaminharam a carta para Majô (Maria José Cardoso), que na época trabalhava na GIMAT, ela conversou com o Pedro Torres e ele me chamou para uma entrevista. Fui contratada como Terceirizada da CAIXA no período de 2002 a 2005. Em 2006 fui contratada pela ONG e permaneci até setembro de 2009.

LeidePortal da Moradia e Cidadania: Qual a importância dos projetos sociais desenvolvidos pela ONG, em comunidades de baixa renda?

Leide: Desde que iniciei os trabalhos na ONG me apaixonei pela causa social. É muito gratificante acompanhar e compartilhar da transformação social que a ONG faz na vida de muitas pessoas. É indescritível a sensação de ver alguém chegando aqui sem chão, sem perspectiva de vida e necessitando de apoio e que após passar por nossos projetos, receber orientação saem daqui empregadas, estruturadas e com algo muito mais precioso: a vontade de vencer, a confiança em si mesmo e cheios de objetivos.

Portal da Moradia e Cidadania: Como você vê a atuação da Moradia e Cidadania, na construção de um mundo melhor?

Leide: Posso afirmar, sem sombras de dúvida, que a ONG é de relevante importância para a construção de um mundo melhor. O trabalho desenvolvido aqui é pautado no compromisso, seriedade, responsabilidade e muito amor pela causa, o que faz toda a diferença.

Portal da Moradia e Cidadania:Como você avalia o trabalho da Moradia e Cidadania?

Leide: Avalio como um trabalho extremamente necessário, uma vez que as políticas públicas são insuficientes para atender as demandas das comunidades de baixa renda. As ONGs atuam como complemento ao trabalho dos órgãos Públicos, realizando ações onde o Governo não consegue chegar ou desenvolvendo um trabalho de parceria. 

LeidePortal da Moradia e Cidadania: O que uma pessoa precisa para trabalhar com a causa social? 

Leide: Além de conhecer as necessidades da região ou comunidades em que se pretende atuar, necessita ser humilde, saber ouvir, ser paciente, ter amor pelo próximo e almejar a transformação social.   

Portal da Moradia e Cidadania: O que mudou na sua vida ao trabalhar na ONG e na vida das pessoas de baixa renda que são atendidas?

Leide: Posso dizer que foi uma experiência ímpar em minha vida, que realmente fez muito diferença, pois gerou crescimento pessoal e profissional. Pude acompanhar a transformação na vida de muitas pessoas, que bom que pude compartilhar isto.

Portal da Moradia e Cidadania: Na sua opinião, falta alguma coisa para que o trabalho da Moradia e Cidadania seja ainda melhor?

Leide: Necessita de mais apoio, sendo que os Coordenadores são voluntários e que, devido a demanda de suas atribuições na CAIXA, dedicam pouco tempo ao trabalho na ONG. Além disso, a ONG precisa de pessoas que se interessem mais em contribuir com trabalho e financeiramente.

Portal da Moradia e Cidadania: Qual é a mensagem que você gostaria de transmitir às pessoas que têm vontade de ajudar as famílias de baixa renda?

Leide: Digo que vale a pena, que invistam nesta causa. Quantas vezes nos pegamos reclamando de coisas fúteis, como: uma comida que está fria, enquanto milhares de pessoas não possuem o que comer. Só neste trabalho percebemos o quanto as diferenças sociais são gritantes e o quanto podemos fazer pelo próximo.

Portal da Moradia e Cidadania: Quais seus projetos para o futuro? 

Leide: Pretendo concluir a Faculdade, fazer uma pós na área de finanças ou auditoria e, não pode faltar, pretendo continuar a desenvolver algum trabalho social.

Portal da Moradia e Cidadania: O que você vai levar dessa experiência de trabalho na Moradia e Cidadania?

Leide: Levo comigo um amor imenso e um desejo em ajudar aqueles que necessitam. Aqui aprendi muito: aprendi a ouvir mais e falar menos; a dar mais do que receber; a abraçar mais do que esperar por um abraço; a sorrir mais do que esperar um sorriso; a reclamar menos e fazer mais, enfim, aqui aprendi a valorizar o que tenho e o que sou, aprendi a viver o presente, hoje e agora. Obrigada!

Leide

Acredito que independente de nossas escolhas não atenderem nossas expectativas,  aprendemos muito com tudo, é sempre um aprendizado, por mais que fiquemos frustrados com certas situações: sejam de escolhas que fizemos, de reconhecimento que esperávamos, de abraços que perdemos, enfim, essa é a vida. Aqui eu deixo meu sentimento de carinho, meu abraço e um sorriso espontâneo. Neste período, várias amizades nasceram, quantas pessoas conheci, pessoas maravilhosas, como aprendi com as diferenças, quantos sorrisos pude fazer brotar e cessar lágrimas, quantos abraços eu dei e recebi, são lembranças que me acompanharão durante minha caminhada. Que Deus abençoe a vida de cada um e derrame vitórias e prosperidade, sem medida. A foça do Senhor está no coração de cada um de vocês”. (Leide Daiany)

Finalizamos esta entrevista com a tão conhecida Parábola do Semeador, na certeza de que Leide Daiany, é uma semente do bem que deu bons frutos na Moradia e Cidadania e continuará dando por onde passar.

Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. Outra caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser Confessando a profunda a terra. Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. Outra,parte caiu entre os espinhos; e os espinhos cresceram e a sufocaram e não deu fruto. Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto, que vingou e cresceu, produzindo trinta, a sessenta, e a cem por um.” (Mc 4.3-8)

Categorizados em:

Deixe uma resposta