Projetos da Moradia e Cidadania/PE encerram atividades e certificam alunos

1 dez 2016
0

Projetos da Moradia e Cidadania/PE encerram atividades e certificam alunos

     A ONG Moradia e Cidadania/PE desenvolve junto à Escola Profissionalizante Villa Lobos dois projetos sociais em Olinda que visam capacitar pessoas em vulnerabilidade social: o projeto Costura Cidadã – projeto modelo nacional proposto pela presidência da ONG – e o Inclusão Digital. Por isso, na tarde do dia 24 de novembro de 2016 ocorreram as formaturas de ambos os projetos, onde 26 pessoas (20 do projeto Costura Cidadã e 6 do Inclusão Digital) foram certificadas. A equipe da Moradia e Cidadania/PE, representada pela gerente de administração e finanças Rafaela Batista e o auxiliar de comunicação Heictor Carvalho, acompanhou de perto toda a confraternização que marcou o encerramento dos cursos.

Formatura do Projeto Costura Cidadã

      No caso do projeto de corte e costura (Projeto Costura Cidadã), antes da entrega dos certificados, houve uma exposição das roupas elaboradas pelas 20 alunas ao longo dos 7 meses de capacitação. Para a sua realização, a ONG patrocinou, graças a cooperação financeira de seus associados, 10 máquinas de costuras e um ar-condicionado.

       A professora do projeto Maria Áurea da Silva, 69 anos, muito elogiada por toda a turma pela paciência em ensinar, disse o que as meninas aprenderam. “Cortar, costurar e modelar”, falou a professora. E orgulhosa, finalizou: “Todas estão aptas a trabalharem como profissionais”.

       Além da formação de novas costureiras, o projeto também serviu como uma qualificação – é o caso da costureira Givaci Cardoso, 55 anos. “Eu trabalhava antes, e graças ao curso me aperfeiçoei. Hoje estou bem melhor. Melhorei em todas as áreas da costura, mas principalmente na modelagem” disse Givaci.

Formatura do Projeto Inclusão Digital

      Já para o curso de informática básica (Projeto Inclusão Digital), a Moradia disponibilizou 10 computadores, provenientes da remessa de doação de “inservíveis” da Caixa Econômica Federal à ONG. Foram com esses equipamentos que o senhor Ismael França, 77 anos, pedreiro, teve o seu primeiro contato com a informática. “Eu não sabia nem ligar o computador. Graças à professora Keltlen eu aprendi a digitar, a usar a internet e fazer diversas pesquisas,” falou Ismael.

       A professora Keltlen Queise, a quem Ismael agradece, explicou o que foi ensinado no curso. “Eles começaram do zero, não sabiam nada. Não sabiam ligar o computador, nada. Então, foi ensinado a eles o básico: Word, internet e digitação”.

      Os projetos na Escola Profissionalizante Villa Lobos voltarão a funcionar no ano que vem. Em breve divulgaremos mais informações.

Categorizados em: