“A alegria compartilhada é uma alegria dobrada” esta frase do naturalista John Ray

representa Sônia Olimpio, ex-coordenadora da Moradia e Cidadania/CE

e que faz a diferença no Estado.

 

     Sônia Olimpio foi Coordenadora da ONG Moradia e Cidadania/CE por 15 anos. Hoje atua como voluntária, no cargo de Gerente de Administração e Finanças, na coordenação do estado do Ceará. Sônia é sinônimo de alegria. Com seu trabalho social, dissemina esperança de dias melhores nas comunidades de baixa renda.

 

    Nascida em Pacoti/CE, Sônia trabalha com a causa social desde a adolescência. Sua trajetória começa no ginásio, quando foi escolhida pela diretora de sua escola para encabeçar uma campanha de ajuda a um colega de classe que estava passando por necessidades. Daí pra frente se envolveu em todas as campanhas da escola, no movimento estudantil e outros movimentos populares e nunca mais parou. Descobriu que tinha vocação para trabalhar em benefício de pessoas necessitadas. 

 

    Em entrevista ao Portal da Moradia e Cidadania, Sônia conta sua trajetória em prol do desenvolvimento social.

 

Moradia e Cidadania: O que te motiva a continuar com o trabalho social?
Sônia:
São as injustiças que ainda ocorrem em nosso país, estamos no século 21 e presenciamos uma gama de pessoas analfabetas, sem educação, sem saneamento básico, jovens sendo violentadas, tendo que vender seu próprio corpo para levar um pouco de dinheiro para a mãe, crianças de seis anos sendo usadas como aviãozinho para traficantes, pois o pai está desempregado e precisa sustentar sua família. Diante dessas situações não podemos ficar de braços cruzados, e me sinto na obrigação de fazer minha parte.

 

Moradia e Cidadania: Como você, voluntária, avalia o trabalho da Moradia e Cidadania?

Sônia: Com grande alegria e orgulho, tendo consciência que podemos fazer melhor, mas já é um bom começo. Já obtivemos resultados muito positivos, vários de nossos projetos se tornaram referência para outras ONGs.


Moradia e Cidadania: Na sua opinião, falta alguma coisa para que o trabalho que você desenvolve na Moradia e Cidadania seja ainda melhor?
Sônia:
Falta muito. No meu estado somente 30% dos colegas contribuem com nossa ONG, precisamos conquistar os 100%. Sei que é uma tarefa não muito fácil, mais não podemos desistir e continuamos trabalhando dia após dia, mostrando que vale a pena investir em SERES HUMANOS.

 

Moradia e Cidadania: Como que começaram suas atividades como voluntária?
Sônia:
Vendo as necessidades aparecerem em minha frente e eu teria que respondê-las de alguma forma, servindo pessoas. Refletindo dentro da palavra de DEUS: Amarás seu próximo como a si mesmo, ele quis dizer, quando você serve o próximo, está servindo a ELE. Tento obedecê-lo.  

 

Moradia e Cidadania: O que uma pessoa precisa para ser voluntária?
Sônia:
Ter boa vontade de trabalhar pelo próximo, sabendo que não vai ser remunerada financeiramente, mais tendo a certeza que está contribuindo para uma sociedade mais justa e igualitária.

 

Moradia e Cidadania: Qual a importância de desenvolver projetos sociais em comunidades de baixa renda?
Sônia:
Extremamente positiva, pois estamos ajudando na transformação de pessoas. São práticas de abrangência local, iniciativas que às vezes até podem parecer pequenas, mas que na realidade causam uma profunda transformação nas comunidades em que são implantadas. Quando levamos projetos para jovens e crianças, naturalmente estamos investindo no futuro de nosso país. Quando levamos projetos para os pais dessas crianças na área de qualificação e capacitação, estamos trabalhando a auto-estima dessas famílias, que terão uma vida mais digna, preparadas para o mercado de trabalho.

 

Moradia e Cidadania: O que mudou na sua vida e na vida das pessoas de baixa renda que são atendidas?
Sônia:
Na minha vida foi a realização de ver resultados altamente positivos, quando presenciei jovens que nunca tinham colocado um sapato social, nunca tinham saído da comunidade onde moram, terem oportunidade de conhecer vários países como França, Itália, China, várias culturas, representando o Brasil, mostrando o que sabem fazer de melhor, dançarem, tocarem, cantarem as nossas culturas de Norte ao Sul do país. Não tem nada que pague essa satisfação que vejo nos olhos desses jovens e de seus pais. Muda toda a perspectiva de futuro dessas pessoas.

 

Moradia e Cidadania: O que você aprendeu de maior valor, com o trabalho voluntário?

Sônia: Respeitar pessoas, valorizá-las e saber que aprendemos muito com elas.

 

Moradia e Cidadania: Qual é a mensagem que você gostaria de transmitir às pessoas que têm vontade de ajudar as pessoas de baixa renda?
Sônia:
Procurar um projeto que você se identifique. Trabalhar com crianças, jovens adultos ou terceira idade. Temos necessidades em todas essas áreas. E o mínimo que você fizer, já vai fazer diferença, para você e para quem estar sendo servida.

Moradia e Cidadania: Quais seus projetos para o futuro?

Sônia: Continuar fazendo o que faço, ajudando pessoas a terem esperança de um futuro melhor. Gosto muito de uma música do cantor Ivan Lins que diz o seguinte: “ Depende de nós, se esse mundo ainda tem jeito. Apesar do que o homem tem feito, se a vida sobrevivera…” 

 

Moradia e Cidadania: Para você, qual a importância da inserção dos empregados da CAIXA nas ações da ONG?
Sônia:
Em primeiro lugar se sentirem bem em ajudar seu próximo. E segundo saberem que não poderia estar de fora desse empreendimento, unindo a sua atuação institucional, como agente de desenvolvimento social do país, trabalhando para melhorar a vida de tantos brasileiros, através do financiamento de moradia, saneamento, desenvolvimento urbano e no atendimento ao trabalhador, itens básicos para construção da cidadania. Tem tudo haver com os objetivos de nossa ONG.    

Moradia e Cidadania: Relembre um fato marcante na sua trajetória social e o que mudou em sua vida após o acontecimento.
Sônia:
Um depoimento de uma criança da comunidade do Dias Macedo, quando estávamos preparando a festa do dia das crianças, ela me abraçou e disse: “Tia, quando eu crescer, quero ser igual a senhora, trazer brinquedos e lanches para todas as crianças e fazer uma festa bem bonita, eu nunca tinha ganho uma boneca grande e tão linda como essa”, detalhe, (a boneca era usada). Fiquei emocionada, pois o que eu estava fazendo era tão simples e para aquela criança era de uma importância tremenda, que provavelmente ficará gravado em sua mente. Ações simples como essa que fizemos, podem mudar a vida de uma pessoa.

 

Moradia e Cidadania: Caso tenha alguma questão que não foi perguntada e que, na sua opinião, é importante por favor relate abaixo.
Sônia:
Gostaria de dizer para os(as) colegas que podemos de alguma forma mudar a história de muitos brasileirinhos(as), eles só precisam de uma oportunidade, e tenho certeza que se cada um fizer um pouquinho, iremos melhorar o mundo. Podemos nos inspirar na música de John Lennon: “Imagine todas as pessoas repartindo tudo no mundo. Você pode dizer que sou um sonhador, mas não sou o único. Eu espero que um dia você se junte a nós e o mundo, então, se tornará UM”. 

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais