Selda Maria Cabral da Silva tem 49 anos e é formada em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, pós-graduada em Psicologia Social, Gestão Ambiental e atualmente graduanda em Psicologia. Trabalha na causa social há 12 anos, quando começou atuando no Comitê dos Empregados Caixa. Tomou posse como coordenadora da ONG Pernambuco em 2000 e desde então, dedica parte do seu tempo em favor dos trabalhos desenvolvidos pela Moradia e Cidadania no estado. Conheça mais de sua história.

Moradia e Cidadania: O que te motiva a continuar com o trabalho social?

     São vários fatores que me motivam. Cito alguns: os resultados alcançados em cada projeto ou ação, o envolvimento dos voluntários e parceiros, o crescimento e fortalecimento da Moradia e Cidadania, a transformação social estampado dos olhos das pessoas atendidas, etc. Ver o próximo com dignidade me faz um bem enorme.

Moradia e Cidadania: Como você, voluntário, avalia o trabalho da Moradia e Cidadania?

     Avalio de forma positiva e oportuna especialmente para as pessoas que pensam em colaborar para o crescimento do outro e encontra a nossa entidade disponível para realizar um trabalho social em sua localidade. Vejo também que estamos contribuindo para um mundo mais justo e combatendo as desigualdades em todo o Brasil e isso gratifica qualquer pessoa que se envolva.

Moradia e Cidadania: Quais são suas expectativas como coordenador estadual?

   Minha expectativa é que cada vez mais possamos realizar um trabalho de qualidade juntamente com associados e parceiros, para que se fortaleça ainda mais a nossa missão em diminuir os impactos de pessoas que vivem em vulnerabilidade social.

Moradia e Cidadania: Qual a importância de desenvolver projetos sociais em comunidades de baixa renda?

     A importância do nosso trabalho nas comunidades é de fato poder mudar uma realidade negativa para aquelas famílias lhe dando esperança, cidadania e dignidade.

Moradia e Cidadania: E o que mudou na sua vida e na vida das pessoas de baixa renda que são atendidas?

     Após atuar na Moradia e Cidadania eu me realizei, podendo ajudar pessoas que de fato precisam de tão pouco para se erguer a vida.

Moradia e Cidadania: Qual é a coisa de maior valor que você aprendeu com o trabalho voluntário?

      O que eu aprendi é que fazemos algo por alguém, nós é que nos sentimos bem por isso!

Moradia e Cidadania: Qual é a mensagem que você gostaria de transmitir às pessoas que têm vontade de ajudar as pessoas de baixa renda?

     Que façam o bem o quanto antes, porque talvez não consiga a tempo para fazer algo que por alguém.

Moradia e Cidadania: Para você, qual a importância da inserção dos empregados na CAIXA nas ações da ONG?

      É de fundamental importância, pois se faz perpétua uma proposta que foi construída há mais de 20 anos atrás movida pelo sociólogo Betinho. Ele dizia que cada um pode fazer a sua parte, tanto pessoa quanto empresa e assim, segue a missão da nossa ONG.

     Para finalizar a coordenadora conclui: “Destaco que a ONG Moradia e Cidadania é única na essência de sua criação, pois é um movimento criado pela solidariedade dos empregados da CAIXA – e isso é de se orgulhar.”

     Para mais detalhes sobre a Coordenação PE, clique aqui.

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais