O Projeto Ziguezagueando e Cortando Reto, executado desde 2009 na Casa Brasil Porto Alegre, foi selecionado pelo Fundo Socioambiental CAIXA, para promover por meio de incubação a formação e o conhecimento necessários para a criação e o funcionamento de Grupos Associativos do projeto, visando à autogestão, a viabilidade econômica, práticas ambientalmente conscientes e cidadania ativa através de aprendizados multidisciplinares.

 

     O projeto passará a admitir jovens e adultos e mudará seu nome para “Ziguezagueando – Jovens e Adultos” e através de dois encontros semanais de 4h e 3h (7h/semana) por grupo, totalizando 1300h de atendimento direto, acrescida de outras, como participação em eventos, feiras, entre outros, o projeto pretende fomentar a criação e consolidação de grupos e trabalhar suas capacitações técnicas.

 

    Neste período, o projeto conta ainda, com as parcerias da Escola de Administração/UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Fórum Estadual de Economia Solidária, Sindicato do Artesão, Correios, IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), COEP (Comitê de Entidades no Combate e à Fome pela Vida) e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, mas segue na busca de novos parceiros.

       Para a nova fase do projeto a Rede de Integração e Cidadania (RINACI), que é a executora do projeto em parceria com a Moradia e Cidadania, selecionarão para coordenar o projeto um educador popular que irá selecionar e acompanhar o treinamento das alunas, buscando articular parcerias no sentido de buscar oportunidades de aprendizagem e comercialização dos produtos desenvolvidos neste projeto. A seleção será feita através de edital público. Conheça o edital clicando aqui.  

 

Um pouco de história     

      O Projeto “Ziguezagueando e Cortando Reto”, surgiu no ano de 2009, com o objetivo de instrumentalizar e desenvolver oficinas de costura, artesanato e customização e com isso oportunizar geração de trabalho e renda a mulheres da Vila Santa Terezinha, em Porto Alegre e comunidades próximas, onde a população feminina é significativa e com faixa etária variada, incluindo mães adolescentes que suspenderam sua formação escolar em função dos filhos e necessitam gerar renda complementar, ou ainda, garantir sozinhas, o sustento da família.

     Inserida nesse contexto, a Casa Brasil Porto Alegre, através da rede de parceiro, foram desenvolvendo diferentes atividades complementares, como oficinas de Introdução a Informática, envolvendo grupos de economia solidária, artesões e outros. Estas oficinas demonstraram a demanda ainda existente, tanto da população oriunda da Vila Santa Terezinha, vizinha da Casa Brasil, quanto de outras comunidades.  

 

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais