Confira, abaixo, reportagem na íntegra!

Cultura e Esporte: Caixa e Escola Bolshoi são parceiras em favor da educação, cultura e inclusão social

Escola completa 18 anos transformando crianças e jovens em artistas cidadãos

     Instalada na cidade catarinense de Joinville, a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil tem transformado vidas de crianças e jovens. Nesses seus 18 anos de existência tendo como missão formar artistas cidadãos, a única unidade da instituição fora da Rússia conta com muitos exemplos de sucesso. “72% dos alunos que saíram da Escola estão empregados e trabalhando na dança”, conta o presidente do Conselho da instituição, Valdir Steglich. “Vi essas crianças chegando de diversas partes do Brasil e ao longo dos anos se transformando em grandes artistas. Isso é um orgulho para a Escola”. Steglich afirma que a maioria dos alunos vem de famílias de baixa renda, e recebem bolsa de estudo integral para o curso de formação.
     Esses jovens saem para o mercado de trabalho e transformam a ascensão social não só deles, mas também da família. “Temos muitas histórias belíssimas que acompanhamos ao longo desses anos”, diz o presidente. Hoje são 226 alunos dos cursos básico e técnico em dança clássica de 22 estados brasileiros e do Distrito Federal, além de representantes do Paraguai, Argentina e Uruguai.

     Desde a fundação, 321 bailarinos foram formados, e depois da formatura 2018 este número sobe para 340. A formatura entre os dias 14 e 16 de dezembro será marcada por espetáculos de gala e a cerimônia de colação de grau. Para o diretor geral da Escola, Pavel Kazarian, é muito positivo ver o trabalho sendo multiplicado. “Nesses 18 anos já trocou a geração e vemos alguns dos nossos ex-alunos trabalhando como professores e trazendo os seus alunos para começar a estudar aqui”. 
     O esforço é muito grande, a começar pelo processo seletivo de admissão, que neste ano teve a participação de 5.873 crianças na fase regional. “A criança entra na Escola competindo com outras 120 (candidatos por vaga) e passa oito anos de muito trabalho e estudo”, relata Kazarian.

     São seis horas diárias com matérias como dança clássica e contemporânea, além de prática cênica, ginástica acrobática, educação musical, repertório, teatro, piano, história da arte, literatura musical, dueto, história da dança e iniciação à pesquisa. “Quem estuda mal na escola regular não continua com a bolsa na instituição. Só recebendo o diploma de conclusão do Ensino Médio consegue o certificado da Escola Bolshoi”, explica o diretor geral.
     “Ficamos tão felizes com aqueles que querem continuar a carreira artística, que na Escola recebem um ensino de qualidade, mas também com os que querem fazer outra coisa”, diz Kazarian. Segundo ele, depois de passar anos na instituição, a criança tem uma formação em conhecimento e valores morais que vão muito além do Ensino Médio e da própria dança, e isso ajuda em todas as profissões. 
     Esta matéria é a primeira de uma série de cinco reportagens sobre a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil que serão publicadas entre esta e a próxima semana.

Fonte: Agência CAIXA de Notícias

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais