Nascida no Rio de Janeiro, Odélia Maria da Costa e Silva, 67 anos, é Economiária aposentada e trabalha há 3 anos na coordenação da Moradia e Cidadania em Mato Grosso como Gerente de Projetos. Colabora com causa social desde 1984, quando se aposentou, como empregada da CAIXA. “Minha primeira experiência, como voluntária, foi no CEAK-Centro Espírita Alam Kardec, no Rio de Janeiro. Com formação em psicologia, fui direcionada para um grupo, onde o trabalho principal era visita mensal a Colônia Macedo Tavares, em Itaboraí-RJ onde residem pessoas portadoras de hanseníase”, disse Odélia.

Leia a entrevista que o Portal da Moradia e Cidadania fez com ela.

Moradia e Cidadania: O que te motiva a continuar com o trabalho social?
Odélia Maria:
Amor no que faço. A certeza de que é possível gerar melhoria de qualidade de vida de pessoas através dos projetos sociais desenvolvidos pela ONG Moradia e Cidadania.

Moradia e Cidadania: Como você, voluntária, avalia o trabalho da Moradia e Cidadania?
Odélia Maria:
Muito Importante! No decorrer dos três anos que estou na ONG, é visível o crescimento da Moradia, o comprometimento com as causas sociais, conquistando de forma sólida, espaço no Terceiro Setor.

Moradia e Cidadania: Na sua opinião, falta alguma coisa para que o trabalho que você desenvolve na Moradia e Cidadania seja ainda melhor?
Odélia Maria:
Sim, estrutura operacional.

Moradia e Cidadania: Como que começaram as suas atividades como voluntária?
Odélia Maria:
Através de trabalho em grupo no CEAK – Centro Espírita Alan Kardec, no Rio de Janeiro.

Moradia e Cidadania: O que uma pessoa precisa para ser voluntária?
Odélia Maria:
Ser solidária, compreender o valor da solidariedade.

Moradia e Cidadania: Qual a importância de desenvolver projetos sociais em comunidades de baixa renda?
Odélia Maria:
É a certeza de que podemos contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, resgate da dignidade.

Moradia e Cidadania: O que mudou na sua vida e na vida das pessoas de baixa renda que são atendidas? Qual é a coisa de maior valor que você aprendeu com o trabalho voluntário?
Odélia Maria:
Estar em paz comigo, ter consciência do que faço é com amor, alegria. Quanto as pessoas é a certeza de melhor qualidade de vida. Devolver a esperança de uma vida melhor as pessoas.

Moradia e Cidadania: Qual é a mensagem que você gostaria de transmitir às pessoas que têm vontade de ajudar as pessoas de baixa renda?
Odélia Maria:
Dizer que cada minuto investido para a causa social vale à pena, é mais experiência de vida adquirida, é gratificante.

Moradia e Cidadania: Quais seus projetos para o futuro?
Odélia Maria:
Manter a saúde equilibrada para dar continuidade ao trabalho voluntário pela causa social.

Moradia e Cidadania: Para você, qual a importância da inserção dos empregados da CAIXA nas ações da ONG?
Odélia Maria:
Valiosa em todos os sentidos seja como contribuintes ou voluntários. É oportunidade única de exercer a cidadania.

Moradia e Cidadania: Relembre um fato marcante na sua trajetória social e o que mudou em sua vida após o acontecimento.
Odélia Maria:
São inúmeros os fatos relevantes que marcam nossas vidas para sempre. Tudo aconteceu em 2004 quando foi estabelecida parceria entre a Moradia e Cidadania/MT e a Associação Matogrossense de Economiários Aposentados – AMEA para realização do Projeto Inclusão Digital dando oportunidade aos aposentados de conhecimentos em informática. A coordenadora Maria Lúcia acreditou que os computadores podem auxiliar muito as pessoas que têm déficit de memória. Além disso, as aulas são um ótimo estímulo para os idosos, pois eles se sentem mais úteis e passam a ter um novo núcleo de convivência, melhorando assim, consideravelmente a qualidade de vida.

                                                      

 

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais