O Coordenador da Moradia e Cidadania/GO, João Batista Cascalho, juntamente à Gerente de Projetos, Silvana Coimbra, tiveram o privilégio de participar do ensaio aberto da peça teatral Maria Grampinho, no Auditório do Instituto Tecnológico em Artes Basileu França – ITEGOABF, em Goiânia/GO. O ensaio ocorreu dia 21 de agosto de 2018 e foi encenado por pessoas com deficiência auditiva, visual ou intelectual e, também, por pessoas sem deficiência.

     O espetáculo documentário é inspirado no livro “O que teria na trouxa de Maria”, de Diane Valdez, e embalado pelas músicas de Débora de Sá e Lua Barreto, inspiradas na mesma literatura. É dirigido por Thiago Santana e Gilvana Machado, coreografado por Itana Fleury, com direção musical de Nildo Santos e interpretação dos integrantes do NAIBF – Núcleo de Artes Integradas e Inclusão Basileu França.

     No palco, o Núcleo conta a história de Maria da Purificação, uma significativa mulher que perambulou até o final da década de 40 pelas estreitas ruas de pedra da cidade de Goiás, coletando botões, grampos e tudo mais que lhe chamava a atenção e despertava sua criatividade. Maria Grampinho, como ficou conhecida, tomava refeições nas casas das famílias que a acolhiam, e repousava no porão da casa da poetisa e doceira Cora Coralina, que a considerava mais que uma inquilina, uma “companheira certa e compulsada”.

     O NAIBF é um núcleo de difusão artística vinculado à Coordenação de Arte e Inclusão do Instituto Tecnológico de Goiás em Artes Basileu França, apoiados pelo INAI, Instituto Arte e Inclusão e pela ONG Moradia e Cidadania/GO. O Núcleo trabalha em prol da produção artística para todos; nessa perspectiva, a Coordenação GO investe seus esforços na promoção da inclusão e acessibilidade de artistas e expectadores com deficiência a espetáculos cênicos.

 

Por Sites em Brasília | Criação de sites profissionais